ARX

Observatório de Estrelas e Pássaros

Como primeiro gesto manifestou-se a vontade de delimitar um novo horizonte.
Desloca-se o observador da sua relação com o contexto envolvente, construindo um novo limite que nos permite re-orientar  ," medir e observar " o céu.

Uma circunferência escavada na terra com um diâmetro  de 50 m. por 5 m. de altura ; no pavimento e nas paredes estão marcadas as refêrencias principais das constelações do nosso zenite, mantendo a Estrela Polar como ponto fixo e transladando o sistema conforme o nosso ponto de observação.
A posição do observador é horizontal, " paralelo entre a Terra e ao  Céu"; deitado em cadeiras reclináveis, o observador tem acesso a próteses/extensões ou periféricos que lhe ampliam as possibilidades de percepção e referências de Conhecimento.

Por baixo  deste espaço existe uma cisterna, idêntica em configuração à praça superior, onde é recolhida  a água da chuva. Durante o dia a luz entra filtrada  neste espaço através de pequenas aberturas que correspondem ao sistema astral antipoda.

De noite a luz é projectada do interior para o exterior marcando o mesmo desenho desta vez visível no pavimento do observatório externo, completando o zénite.

Os pontos ( torres ) de observação dos pássaros em antítese ao observatório astral desenvolvem-se na vertical , aproximando-nos do céu .  Estão posicionados no território no encontro das diretrizes das principais constelações.

As diversas torres de observação de pássaros são unidas por canais de água  subterrâneos com um traçado correspondente às diretrizes anteriormentemente descritas, convergindo na cisterna central.

Procura-se aqui um confronto entre os opostos, um desejo de relacionar situações em antitesis, em referência ao ausente, na nostalgia da unidade ; o nosso universo.

O acto de observar o céu e os pássaros é no fundo um modo para  nos reflectir sobre o mundo , sobre a relação do nosso microcosmo com o macrocosmo, no equilibrio composto por os quatros  elementos primarios  Terra, Ar , Água , Fogo.

Ficha Técnica

Morada

Montemor-o-Novo

Dono da Obra

Museum Virtual

Projecto

1997


Arquitectura

ARX PORTUGAL, Arquitectos Lda.
José Mateus
Nuno Mateus

Colaboradores

Paulo Rocha, Stefano Riva