ARX

Escola Superior de Tecnologia do Barreiro

O lote previsto para a Escola localiza-se nos subúrbios da cidade do Barreiro. São territórios rurais invadidos por construções recentes que intersectam hortas e canaviais. Dada a predominância de habitação, sem que tenha sido prevista a integração de outras funções, este bairro é actualmente um dormitório com pouca vida urbana. O terreno é contudo bastante interessante: é amplo, com uma pendente suave e bem relacionada com a sua configuração – desnível de 4m entre perímetro a norte e sul – e possui, num dos seus extremos, uma mata densa de sobreiros e pinheiros de porte considerável.

Há projectos que suscitam reacções públicas mesmo antes de existirem. E por vezes é aí que encontram boa parte da sua matéria de reflexão. Esta escola é disso um exemplo. Os moradores do “bairro“ envolvente manifestaram-se contra a sua construção porque pretendiam uma Escola do ensino Básico – transferida para outro local – mas também motivados pelo receio do impacto visual de um edifício de grandes proporções e prevendo que seriam abatidas árvores. Decidiram então contar e marcar todas elas uma a uma.

Procurámos conferir ao edifício um carácter ambíguo. Por um lado "dissipa-se" e aceita a prevalência dos elementos naturais, e por outro, assume a sua presença como elemento artificial, de carácter  abstracto. Este princípio é sublinhado pelas opções construtivas: grande bloco antracite, que ao ser seccionado, revela um interior branco.
A arquitectura assume num dos extremos do edifício um carácter mais topográfico, em que não se percebe onde realmente começa e acaba a envolvente e um lado oposto com o seu limite mais presente, definido pelo alinhamento dos topos dos diferentes corpos do edifício.

O edifício posiciona-se no centro do terreno, reservou-se o terço a norte para estacionamento e entrada principal, e, a sul a mata deixa de ser uma faixa localizada, estendendo-se agora em redor e sobre o edifício. Do conjunto, ergue-se em altura um corpo do edifício – a zona de docentes – que marca a sua presença a distâncias maiores e configura um novo sinal urbano.

Ficha Técnica

Seleccionada para integrar a exposição "Euronews", na "Trienal de Arquitectura de Lisboa 2007"
Seleccionada para integrar a representação de Portugal na “Bienal de S. Paulo 2008”

Dono de Obra

Instituto Politécnico de Setúbal

Morada

Quinta dos Fidalguinhos, Barreiro
Portugal

Concurso

2001 - 1º prémio

Projecto

2001 – 03

Obra

2005 – 07

Arquitectura

ARX PORTUGAL, Arquitectos Lda.
José Mateus
Nuno Mateus

Colaboradores

Paulo Rocha, Stefano Riva
Andreia Tomé,Clara Martins, Marco Roque Antunes, Nuno Grancho, Pedro Alves,
Pedro Dourado, Pedro Sousa, Tânia Pedro, Francisco Marques, Sónia Luz

Arquitectura Paisagista

GLOBAL, Arquitectura Paisagista Lda.

Estruturas

TAL PROJECTO, Projectos, Estudos e Serviços de Engenharia Lda.

Instalações e Equipamentos Eléctricos e de Telecomunicações

Segurança Integrada

AT, Serviços de Engenharia Electrotécnica e Electrónica Lda.

Instalações e Equipamentos de Águas e Esgotos

AQUADOMUS, Consultores Lda.

Fotografia

FG + SG - Fotografia de Arquitectura

Fotografia : Fernando Guerra  |  Produção Fotográfica : Sérgio Guerra
® copyright

Construtor

Obrecol

Área

10 500 m2